terça-feira, 30 de dezembro de 2008

A beleza escondida da neve

A neve fez a sua aparição com abundância em muitas das regiões serranas portu­guesas. A sua brancura é, já de si, uma das maravilhas da Natureza. A Serra da Estrela tem surgido quase todos os dias nos órgãos de comunicação nacionais e na Inter­net. Ainda há dias, a serra apresentava este aspecto.

Mas a neve tem uma beleza escondida, que se descobre apenas depois de ampliar cada floco. E pode dizer-se que não há dois flocos de neve iguais. Mesmo que aparentemente iguais há sempre umas particula­ridades que os diferenciam.



Segundo uma classificação internacional, há sete categorias de cristais de neve, cujas formas, peso e volume variam bastante. Porém, uma coisa é certa e deslumbrante: todos os cristais de neve apresentam uma simetria hexagonal, conforme se documenta com as imagens belíssimas que se juntam a esta pequena homenagem à neve.
Quando se registam determinadas condições de temperatura do ar, presença de vapor de água na quan­tidade devida e existência de partículas na atmos­fera, então a queda de neve pode acontecer.



O jornal francês Le Figaro, na edição on-line do passa­do dia 24 de Dezem­bro, explicava que quando estão reunidas deter­mi­nadas condições, a água em sus­pensão no ar vai transformar-se em gelo. Numa pequena partícula existente no ar, a água cristaliza e essa formação vai evoluir, mediante as condições de temperatura, vento, campo eléctrico, pressão atmosférica, até formar um cristal com diversas formas, mas sempre de simetria hexagonal.



Sabe-se que a temperaturas entre 5 e 10 graus nega­tivos, se formam cristais de tipo agulha e coluna, e que descendo aos 18 negativos começam a surgir as estrelas de seis braços, por vezes com ramificações, formando uma autêntica renda e sempre com uma espantosa simetria.



À medida que os flocos vão caindo para o solo e atravessando as diversas camadas do ar, vão sofrendo alterações. As diferenças na formação dos flocos de neve, vão ter consequências em terra. Vão dar origem a vários tipos de neve: ligeira como uma pluma, pesada como um espesso manto, do tipo cola ou deslizante como o gelo.
Assim, segundo os técnicos, formam-se três tipos principais de neve: seca, húmida e molhada. A que cobre normalmente as montanhas é a do tipo seco, muito leve e pulverizada.


A neve húmida cai sobretudo nas zonas planas de altitude mais baixa, surge entre os 0 e 5 graus negativos, e adere a tudo, provocando, com o seu peso, quedas de estruturas neces­sárias à vida humana.
Finalmente, a neve molhada, que cai entre os zero e um grau, como o próprio nome indica, contém muita água e, portanto, descongela rapidamente. Caindo em estradas e baixando a temperatura, dá origem ao temível gelo, que pode provocar acidentes de viação.

Abaixo, a célebre cabeça do velho, na subida para a Serra da Estrela.


sábado, 20 de dezembro de 2008

Uma dica para a interrupção de Natal

“O Pecado de Darwin” de Jonh Darnton.

Um livro que nos leva à Inglaterra Vitoriana para nos revelar os segredos que rodeiam a vida e a obra do cientista britânico Charles Darwin, num romance que, além de combinar harmoniosamente factos históricos e ficção, responde a questões como: Que mistérios haverá na vida do homem que mudou a forma de vermos a natureza? O que levou Darwin a formular a teoria da evolução? Porque demorou vinte e dois anos a escrever "A Origem das Espécies"? Que misteriosa doença o debilitou durante tantos anos? Quem era o seu rival secreto?


Um óptimo presente para pedir ao Pai Natal... se se portaram bem durante o ano, claro!

Boas Festas!!!!

VeraMR

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Observação indirecta do Sol


Dia 17 de Dezembro a partir das nove horas irá decorrer no campo de jogos da Escola Secundária Júlio Dantas uma sessão de observação indirecta do Sol (por projecção). Esta actividade será realizada com a ajuda de um telescópio newtoniano que projectará a imagem da nossa estrela numa superfície branca.
É de especial interesse a observação das manchas solares mas, infelizmente, nos últimos dias o Sol não apresenta nenhuma visível, esperemos que no dia em questão tenhamos alguma agradável surpresa.
Podem ver no site da SOHO (Solar and Heliospheric Observatory) o aspecto do Sol actualizado diariamente.
Finalmente deixo aqui um pequeno filme sobre o Sol.
Até dia 17...

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

A PROVA MOLECULAR

Desde há mais de quarenta anos que a comunidade científica defende a existência de uma estreita correlação entre o fumo do tabaco e o cancro do pulmão, baseados essencialmente em dados epidemiológicos e estatísticos.
Não existindo uma prova molecular, isto é, não estando identificado o mecanismo químico responsável pelo aparecimento do cancro, não se poderia aceitar a referida correlação, argumentaram durante décadas as tabaqueiras.
Tudo mudou quando, em meados da década de noventa do século passado, cientistas americanos derrubaram este argumento ao revelarem a primeira prova da existência de uma relação directa entre uma substância química existente no fumo do tabaco responsável pelo aparecimento de alterações genéticas, que estão na base do desenvolvimento de um tumor maligno( o cancro é uma doença genética).
Estes cientistas conseguiram observar em laboratório os efeitos provocados pelo benzopireno, um dos quarenta carcinógenos já reconhecidos no fumo do tabaco, nas células.
O nosso organismo é capaz de transformar o benzopireno numa substância designada de BPDE que, em contacto com as células do pulmão, provoca mutações genéticas no gene p53, um dos principais genes supressores do cancro, geralmente chamado "anjo guardião do genoma". Este evita a proliferação desordenada das células e, quando mutado, deixa de desempenhar esse papel de policiamento das células, ou seja, quando este gene apresenta uma alteração ou sofre uma delecção, as células começam a acumular mutações e dividem-se sem controlo, ocasionando o aparecimento de carcinomas.
Sabendo-se que a sequência de aminoácidos nas proteínas é determinada pela informação genética dos genes , localizados no DNA, a molécula da hereditariedade, então, alterada a sequência nucleotídica, como acontece no gene mutado, a proteína sintetizada é diferente na sua sequência de aminoácidos e, consequentemente, na sua função biológica.
A mutação do gene p53 leva a que a proteína formada deixe de controlar a multiplicação celular ( o cancro manifesta-se num descontrolo que se traduz num aumento muito significativo do número de células anómalas).
O BPDE ao estabelecer ligações químicas em várias partes da molécula do DNA irá, muito provavelmente, causar mutações durante o processo da divisão celular, altura que o DNA é replicado (copiado), impedindo o gene p53 de controlar a proliferação celular que está na origem do tumor.
Este facto constitui uma prova molecular, dado existir uma correlação directa entre as mutações genéticas do gene p53 no cancro do pulmão e os danos no DNA deste gene provocados pelo BP(benzopireno).
Fernando Ribeiro

sábado, 6 de dezembro de 2008

Aurora Borealis

Os magníficos fenómenos luminosos que a natureza nos oferece

Aurora Borealis e Aurora Australis


A Aurora Borealis ( no Norte ) e a Aurora Australis ( no Sul ) são fenómenos espectaculares, que resultam da emissão de radiações vísiveis com diferentes energias. Essas radiações vísiveis resultam da transição dos electrões de níveis de energia superiores, para níveis de energia inferiores, quando as moléculas de oxigénio e nitrogénio da atmosfera, passam de estados excitados ( maior energia ) para estados de menor energia.
A excitação das moléculas de oxigénio e de nitrogénio ocorre na Ionosfera e resulta da colisão destas moléculas com partículas de elevada energia ( electrões ), que têm origem no Sol e atingem a Terra com elevadas velocidades, na forma de vento solar.
Estas ao atingirem a Terra são capturadas pelo campo magnético terrestre e encaminhadas para os pólos magnéticos terrestres, através das linhas de campo magnético. É por este motivo que as Auroras Borealis ocorrem no pólo Norte e no pólo Sul geográficos. A espectacularidade do fenómeno e as suas causas podem ser observadas nas seguintes imagens e vídeo.














Arco-Íris

O arco-íris é outro desses maravilhosos fenómenos que ocorre devido à decomposição da luz branca ( luz do Sol ), quando esta passa do meio transparente ar, para o meio transparente gota de água. A decomposição da luz solar deve-se às diferentes velocidades das várias radiações que a constituem nos diversos meios ( gota de água ).
Nesta decomposição dá-se a separação das diferentes radiações com cores diferentes e origina um espectro contínuo ( no céu ) que nós conhecemos como arco-íris.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Fósseis

Os fósseis são restos ou vestígios de seres vivos que viveram no passado e se conservaram de forma natural nas rochas ou em outros fósseis. Podem ser encontrados desde de pequenos organismos, apenas visíveis ao microscópio, até dinossauros gigantes que nos espantam pelas suas características.

Para que se forme um fóssil é necessário que ocorram uma série de transformações químicas e físicas ao longo de um período de tempo, sendo a preservação de matéria orgânica ou de restos esqueléticos delicados mais difícil, uma vez que estes se decompõem e são destruídos rapidamente (saber mais…). Assim, a maioria dos fósseis é constituída pelas partes resistentes dos organismos, como conchas, carapaças, ossos, dentes, ou zonas lenhosas.

Durante a fossilização os restos ou vestígios podem manter-se praticamente inalterados ou sofrerem uma substituição da matéria orgânica por matéria mineral, mais estável nas novas condições. Os animais e plantas encontram-se, por vezes, conservados em gelo, resina, materiais betuminosos e turfa.

A Paleontologia, ciência que estuda os fósseis, permite-nos conhecer as relações entre os seres vivos que viveram no passado, entre estes e o meio ambiente, e a sua ordem no tempo, revelando-nos que a vida teve origem na Terra à pelo menos 3500 milhões de anos e que desde então se sucederam vários organismos que viveram nos mais diversos ambientes.

Saber mais...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Dia Mundial da Luta contra a SIDA

Longe vão os tempos em que a doença foi levianamente associada a determinados grupos, como os homossexuais, logo levantando um coro de vozes relacionando-a com a cólera divina, o castigo de comportamentos sexuais, ditos menos próprios, e toda uma série de inverdades resultantes do preconceito e da ignorância.
A luta contra o VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) tem sido um combate titânico contra uma hidra cujas cabeças não tem deixado de crescer em todos os continentes e, particularmente, na África sub-sariana que não bastando ser o mais pobre é, também, o mais afectado pela pandemia.
Uma das particularidades deste vírus é que uma vez entrado no organismo irá atacar o sistema imunológico (aloja-se nos linfócitos CD4), levando a que a pessoa infectada (seropositiva) fique mais debilitada e sensível às chamadas infecções oportunistas que, não fora a infecção pelo vírus, estaria perfeitamente capacitada para responder a agentes patogénicos responsáveis por doenças como a tuberculose, a pneumonia, a toxoplasmose, entre muitas outras.
Como é sobejamente sabido a transmissão faz-se por via sexual, por contacto com sangue infectado e de mãe para filho durante a gravidez ou o parto e pelo aleitamento materno. Portugal é o país europeu com maior taxa de prevalência da SIDA e a principal via de contágio é a transmissão heterossexual, com excepção do distrito de Castelo Branco, em que a primazia é ocupada pela via sanguínea resultante do consumo de drogas injectáveis. Constituem-se como grupos mais vulneráveis os toxicodependentes, as(os) prostitutas(os) e seus clientes, os reclusos, os homossexuais e os migrantes.
Estudos da OMS referem que em caso de diagnóstico positivo, a combinação de análises voluntárias com tratamentos anti-retrovirais, levaria a uma redução substancial dos casos de VIH/SIDA, com resultados igualmente positivos ao nível da incidência de tuberculose e da transmissão do vírus de mãe para filhos.
Também um relatório da ONU aponta para que o diagnóstico e o tratamento do vírus VIH/SIDA nas primeiras 12 semanas de vida poderiam salvar da morte três em cada quatro recém-nascidos infectados, tornando-se, por isso, necessária a intensificação dos testes de despistagem nos bébes a fim de que os tratamentos se iniciem o mais cedo possível, sendo para isso necessário reforçar as capacidades dos laboratórios em investigação e meios, o que está longe de ser um dado adquirido.
A luta contra a infecção VIH/SIDA terá que continuar a incidir, como referem os responsáveis do Programa Nacional de Prevenção e Controlo da Infecção VIH/SIDA, na prevenção e detecção precoce da doença, o que implica apostar "na formação de profissionais de saúde e outros intervenientes nesta área, bem como no aconselhamento, rastreio e referenciação adequada relativamente ao VIH nos Centros de Aconselhamento e Detecção (CAD) da doença e Centros de Saúde".
Fernando Ribeiro


sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Ferramentas perdidas no espaço

Astronauta perde saco de ferramentas no espaço enquanto estava
a proceder a reparações no exterior da estação espacial.

Minerais




Corpos sólidos, naturais, constituídos por átomos iões e moléculas dispostos ordenadamente e de forma repetida numa rede cristalina. Assim nascem os cristais, obras primas da natureza que reflectem exteriormente a sua perfeição interna.

Cedam-lhes espaço, dêem-lhes tempo, e lentamente, após um longo período, a partir de um magma fundido poderemos ver nascer as mais lindas formas cristalinas. Algumas vezes associadas ou formando maclas com um nível superior de simetria, que nos deixam boquiabertos perante a beleza daquilo que a Natureza cria.
Não foi, porém, apenas a sua beleza que fez com que o Homem procurasse e extraísse estes tesouros da Terra. Egípcios, Romanos e Gregos..., usaram-nos para os mais diversificados fins, joalharia, construção, estatuária, fabrico de armas e decoração...
Os minerais sempre nos intrigaram, ao ponto, de terem vindo a ser utilizados desde a mais remota Antiguidade; o Sílex na Pré-História, o Cobre no Calcolítico (IV milénio a.C.), Prata e Ouro nas mais Antigas Civilizações; até aos nossos dias com a Volframite para os filamentos das lâmpadas, o Quartzo na relojoaria, o Talco na cosmética, a Caulinite na cerâmica, a Grafite na indústria, a Pirite no fabrico de ferro, a Uraninite nas centrais nucleares e até a Halite na alimentação...

Minerais, sempre deles dependeremos...
imagens in "O Mundo dos Minerais"

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Aquamuseu do Rio Minho

Há uns dias atrás, enquanto folheava uma revista, descobri mais um local de interesse a visitar e uma vez que estamos à porta de um fim-de-semana prolongado aqui fica a dica...

O Aquamuseu do Rio Minho! Fica localizado em Vila Nova de Cerveira, na zona de Castelinho. O espaço encontra-se dividido em três pisos, onde podemos visitar o Aquário Público do Rio e o Museu das Pescas.

No Aquário Público do Rio está exposta a vida aquática dos biótopos mais característicos do rio Minho, dividida numa zona de nascente, zona intermédia e zona do estuário. Os visitantes fazem um percurso que simula a descida do rio, desde a nascente atá à foz, onde vivem as trutas, as bogas, as enguias, o esgana-gata, o rodovalho, o peixe-rei, o polvo, entre outros.

No Museu das Pescas estão expostas artes de pesca antigas e recentes, objectos relacionados com a pesca artesanal, maquetas de barcos e fotografias a preto e branco.

Aqui fica a minha sugestão e aproveitem bem o fim-de-semana.

Saída de Campo à Praia de Porto de Mós

"No dia 14 de Novembro de 2008, no âmbito da disciplina de Biologia e Geologia, participámos numa visita de estudo à Praia de Porto de Mós, cujo principal objectivo era conhecer a Geologia e observar a intervenção e impacto do Homem naquela zona.

Saímos da escola e dirigimo-nos para Porto de Mós, onde efectuámos a paragem I (ver fig 1).

Neste local, conseguimos observar o contacto por falha entre as rochas do Miocénico e as do Cretácico, que estão lado a lado, apesar dos milhões de anos que separam a sua formação (ver fig 2).

Verificámos, também, o impacto das construções humanas sobre este contacto, que se encontra cada vez menos visível.

Deste local, ao olharmos para Oeste constatámos a presença de numerosas ravinas provocadas pelas águas de escorrência que têm vindo a aumentar devido à impermeabilização gerada pela ocupação humana.

Dirigimo-nos, então, para a paragem Ia onde, a partir da praia, observámos o mesmo contacto da paragem anterior. Neste local são visíveis numerosas falhas secundárias que cortam toda a arriba (ver fig 3).

Continuámos ao longo da praia para o local da paragem II observando a erosão diferencial provocada pelo mar, a erosão pelas águas de escorrência, as estruturas de colapso (ver fig 4), potenciadas pelo peso exercido no topo da arriba, e numerosos fósseis.

Por fim, dirigimo-nos para a paragem III, na zona Oeste da Praia de Porto de Mós, onde, mais uma vez, observámos o contacto por falha entre as rochas do Miocénico e as do Cretácico (ver fig 5), as Formações rochosas “Margas da Luz” e “Margo-Calcários de Porto de Mós”, numerosas falhas que cortam toda a arriba apresentando movimentos consideráveis.


Terminada a última paragem, regressámos à escola satisfeitos por termos tido a oportunidade de estudar as rochas no local de afloramento, de uma forma descontraída e divertida.

Os alunos do 10º D"

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Dia Nacional da Cultura Científica

Sabia que...

Rómulo Vasco da Gama de Carvalho (António Gedeão),
Professor de Química e Física, poeta, investigador, historiador, escritor, fotógrafo, pintor e ilustrador.
Nas palavras como na simplificação da ciência, marcou um século. Ao ponto de ter visto, ainda em vida, o dia do seu aniversário ser instituído como Dia Nacional da Cultura Científica.

Saber mais
aqui

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Dia Mundial da Diabetes

Hoje, 14 de Novembro, assinala-se o Dia Mundial da Diabetes. Para a generalidade da população a diabetes surge como uma doença crónica associada à incapacidade, por parte do organismo, de utilização da glicose como principal fonte de energia para o trabalho celular. Há mesmo células como as do cérebro em que a glicose, em situações normais, é o unico "combustível" utilizado. Para que a glicose possa entrar nas células, com excepção das cerebrais, é necessária a intervenção da insulina, hormona produzida pelo pâncreas endócrino, que funciona como que uma chave que franqueia as "portas" da célula à glicose. A ausência ou insuficiência desta hormona é, assim, responsável pela permanência da glicose no sangue e daí os elevados níveis de açúcar no sangue que caracterizam a doença.
Qual ladrão surgindo pela calada da noite, a diabetes apresenta-se, hoje em dia, como uma pandemia silenciosa, reflexo directo de um estilo de vida, que vai chegando de mansinho preanunciada por níveis elevados de colesterol, obesidade e hipertensão arterial. Actualmente afecta mais de meio milhão de portugueses, sendo que a nível mundial se contam mais de 150 milhões de indivíduos afectados pela doença, com prevalências crescentes em crianças, idosos e mulheres em menopausa. A expansão da doença é tal que a Organização Mundial de Saúde aponta para 2010 um número de 300 milhões de indivíduos, valor anteriormente prespectivado para 2025.
Esta doença, causa primeira de falências renais, acidentes vasculares cerebrais, enfartes de miocárdio, amputações e cegueira, surge como uma consequência directa de um modo de vida em que o consumo de açúcares e de gorduras não para de aumentar, acompanhado por um sedentarismo galopante personificado nas longas horas passadas em frente à televisão e ao computador. Não admira, por isso, que sejam cada vez mais frequentes os casos de crianças com diabetes tipo II, o que em tempos recentes só era observável em indivíduos com idades superiores a 50 anos.
Nunca é demais relembrar que a obsesidade constitui o principal factor de risco para o desenvolvimento da diabetes tipo II, o que é confirmado pelo facto de 80 a 90 por cento dos diabéticos serem obesos. Configura-se, deste modo, uma bem cimentada relação de causa-efeito entre obesidade e diabetes. Perante este quadro torna-se cada vez mais premente o combate a montante , a obesidade, para prevenir a jusante, a diabetes, o que significa empreender uma luta persistente e empenhada na implementação de boas práticas alimentares desde a mais tenra idade, começando em casa e continuando nas escolas, a que terá de se associar uma prática regular de exercício físico.
Fernando Ribeiro

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

momento de poesia I

Maria de Fátima



Pedra Filosofal

a poesia de António Gedeão na voz de Manuel Freire
(trabalho realizado por alunos)


Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer

como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos

como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam
como estas árvores que gritam
em bebedeiras de azul

eles não sabem que sonho
é vinho, é espuma, é fermento
bichinho alacre e sedento
de focinho pontiagudo
que fuça através de tudo
em perpétuo movimento

Eles não sabem que o sonho
é tela é cor é pincel
base, fuste, capitel
que é retorta de alquimista

mapa do mundo distante
Rosa dos Ventos Infante
caravela quinhentista
que é cabo da Boa-Esperança

Ouro, canela, marfim
florete de espadachim
bastidor, passo de dança
Columbina e Arlequim

passarola voadora
pára-raios, locomotiva
barco de proa festiva
alto-forno, geradora

cisão do átomo, radar
ultra-som, televisão
desembarque em foguetão
na superfície lunar

Eles não sabem nem sonham
que o sonho comanda a vida
que sempre que o homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos duma criança

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Vídeos Conferências DARWIN: No Caminho da Evolução

Darwin: entre a Terra e o Céu - 2ª parte
Vídeo da conferência por Carlos Marques da Silva

Vídeos Conferências DARWIN: No Caminho da Evolução

Darwin: entre a Terra e o Céu - 1ª parte
Vídeo da conferência por Carlos Marques da Silva

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Antes que seja tarde

Inicia-se, hoje, segunda-feira, dia 27 de Outubro, feriado municipal de Lagos, em todo o país o programa de vacinação de adolescentes nascidas em 1995 contra o vírus do papiloma humano (HPV). Este vírus, de que se conhecem mais de 90 variantes, é considerado o principal responsável pelo cancro do colo do útero, que a seguir ao cancro da mama é o mais mortífero na população feminina, matando em Portugal, mais de 300 mulheres por ano, sendo mesmo o nosso país o que apresenta uma incidência mais elevada na Europa Ocidental.

A vacina contra o HPV foi integrada, há um ano, no Plano Nacional de Vacinação. Esta vacina preventiva contra o vírus foi obtida em 2006 e, este ano, o médico alemão Harald Zur Hausen recebeu o Prémio Nobel da Medicina pelo seu contributo no estabelecimento da relação entre o HPV e o cancro do colo do útero. Este vírus faz parte de uma vasta família conhecida por atacarem a pele e as mucosas e nela se incluem os que provocam as "verrugas" cutâneas.
Como é sabido os vírus são seres acelulares, cujo património genético é constituído por DNA ou por RNA, nunca os dois em simultâneo, protegido por uma camada proteica. São parasitas intracelulares obrigatórios, só manifestando características vitais, uma vez no interior das células vivas que invadem. Ultrapassadas as "muralhas da fortaleza" e integradas as suas sequências genéticas no DNA da célula invadida, tomam o comando da sua maquinaria metabólica, colocando-a ao seu serviço, isto é, a célula passa a produzir as proteínas e o ácido nucleico virais que permitem a formação de centenas de milhar de novos vírus, acabando, geralmente, por ser destruída.
O facto de em 99,7% das células tumorais do colo do útero se encontrarem as sequências genéticas do vírus, é prova mais que suficiente da ligação entre o HPV e o cancro do colo do útero. Dentro das variantes de HPV já identificadas, há 17 que por estarem relacionadas com o desenvolvimento de cancro são conhecidas como HPV oncogénicos, de que o HPV16 e HPV18 são os mais frequentemente encontrados nas células tumorais do colo do útero.
Aos HPV oncogénicos que funcionarão como iniciadores do tumor, associam-se cofactores, ou seja, "ajudantes" como o "backgrond genético", o fumo do tabaco, os contraceptivos orais, as doenças venéreas e a carência de alguns nutrientes que potenciarão o desenvolvimento do tumor.
No quadro das doenças sexualmente transmissíveis (DST), a infecção pelo HPV é das mais frequentes nos adolescentes e jovens adultos sexualmente activos. A via sexual apresenta-se, assim, como a principal forma de transmissão do vírus, favorecida pela cada vez maior precocidade da primeira relação sexual e existência de elevado número de parceiros sexuais. Neste contexto o uso do preservativo é factor essencial na defesa da saúde pública e, dado que o desenvolvimento do cancro resulta, em primeiro lugar, da acção viral, podendo, por isso, ser tratado e mesmo prevenido, justifica-se plenamente o arranque deste programa de vacinação, esperando-se que em breve seja estendido a outras faixas etárias.
Fernando Ribeiro

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

“Bora lá” às Galápago? Quem quer vir comigo?

A Fundação Calouste Gulbenkian deu início no passado dia 16 do corrente mês ao concurso ”Darwin regressa às Galápagos” dedicado ao GRANDE cientista Charles Darwin.
A participação no concurso exige a formação de um par aluno-professor, em que o aluno terá de redigir uma "carta de motivação" dirigida a Darwin, pedindo-lhe para participar como seu assistente numa hipotética segunda viagem às ilhas Galápagos, no Equador.

O professor, por seu lado, deverá escrever um ensaio sobre o papel dos professores na actualidade, tendo como termo de comparação a relação do próprio Darwin com o seu "mentor", o professor de Geologia e Botânica John S. Henslow que lhe proporcionou a oportunidade de embarcar na Nau Beagle.

1º prémio: duas viagens de dez dias às Galápagos (escalão do ensino secundário), de 05 a 15 de Abril de 2009.

Os conjuntos de cartas e ensaios concorrentes, que deverão ser enviadas online até 05 de Janeiro de 2009, serão avaliados por quatro investigadores, três da área de biologia e um de literatura, a que se juntará um representante da Fundação Gulbenkian.

O concurso insere-se no âmbito da exposição "A Evolução de Darwin", a inaugurar a 12 de Fevereiro de 2009 na Fundação, e com a qual esta pretende assinalar os 200 anos do nascimento de Charles Darwin e, simultaneamente, a passagem de 150 anos sobre a publicação da obra "A Origem das Espécies".

Saber mais aqui

Saber mais e Imagem aqui

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

No seguimento do Dia Mundial da Alimentação

Claro que todos os dias são ou deveriam ser Dia Mundial da Alimentação! Hoje, dia 17 de Outubro, um dia depois da comemoração oficial, não poderíamos deixar de proceder a um pequeno balanço do que foram as actividades desenvolvidas no âmbito do Dia Mundial da Alimentação na nossa escola.

A palestra "Alimentação Saudável" dinamizada pela nutricionista Sara Andrade do Centro de Saúde de Lagos, teve como público-alvo alunos de turmas do 10º Ano.
Pareceu-nos que a actividade atingiu plenamente os objectivos pretendidos: sensibilizar a comunidade escolar para as boas práticas alimentares; reforçar a ideia da importância de consumir alimentos de todos os grupos da Roda dos Alimentos nas proporções recomendadas; dar especial ênfase ao consumo de produtos hortícolas e de frutas, importantes fornecedores de vitaminas, minerais e fibras, tantas vezes arredados das nossas mesas; alertar para os perigos do consumo regular de refeições fast-food; sensibilizar os novos alunos para a qualidade das refeições fornecidas pela cantina escolar, não deixando de realçar a relação preço/qualidade das mesmas.
Na parte final da sessão, que durou cerca de hora e meia, os alunos e professores presentes colocaram questões pertinentes indicadoras de que a mensagem passou.
A palestra "Alimentação e Imagem Corporal" dinamizada pela psicóloga Magda Silva, funcionária da nossa escola, teve como público-alvo os alunos das turmas do Curso Tecnológico de Desporto e os alunos de turmas do 12º Ano que no ano transacto não tiveram oportunidade de assistir às actividades realizadas no Dia Mundial da Alimentação.
Na palestra foi dada particular atenção aos distúrbios alimentares que afectam um número cada vez maior de adolescentes e jovens, essencialmente, nos países desenvolvidos. É paradoxal que este problema afecte países onde a dificuldade de aquisição de alimentos por parte das populações quase não se coloca. Será mesmo de dizer que os distúrbios são fruto da abundância e um reflexo de valores distorcidos, onde a excessiva preocupação com a imagem corporal e a ideia peregrina da eterna juventude, se impuseram como ícones de marca, como padrões que só o são numa realidade virtual e que pouco se ajustam à realidade quotidiana.
As intervenções dos jovens e demais assistentes reforçou-nos a ideia de quão importante é continuarmos a alertar para estes problemas, a consciencializar-mo-nos de que constituem situações do dia-a-dia da maioria das famílias, de muito difícil resolução e, consequentemente, fonte de muito sofrimento para todos os envolvidos.
Estamos em crer que, mais uma vez, a mensagem passou e que nunca é de mais alertar e sensibilizar os jovens para a sua responsabilidade em "construir"um corpo são para ter uma mente sã.
Tanto o almoço como as frutas e frutos secos disponibilizados mereceram o agrado da generalidade da comunidade escolar e enquadraram-se no objectivo de promoção de uma alimentação equilibrada, condição essencial a uma vida saudável.
Resta-nos manifestar o nosso agradecimento pela preciosa disponibilidade de todos os intervenientes da comunidade escolar e da comunidade envolvente que permitiram a comemoração deste dia na nossa escola.
O agrupamento de Biologia e Geologia

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Pequeno-almoço ajuda a controlar o peso

“Os adolescentes que tomam regularmente o pequeno-almoço correm menos ricos de sofrer de excesso de peso, segundo um estudo norte-americano.

Os investigadores avaliaram os padrões alimentares de 1007 rapazes e 1215 raparigas com cerca de 15 anos, tendo em conta o estatuto socio-económico, raça, actividade física e índice de massa corporal (IMC), entre outros.

Conclui-se que quem comia o pequeno-almoço regularmente possuía um IMC (relação entre o peso e a altura) mais baixo do que os restantes. Esta tendência manteve-se ao longo dos cinco anos de estudo. Cerca de metade dos adolescentes, sobretudo as raparigas, não tomavam esta refeição todos os dias. Os autores admitem que a ingestão de alimentos ricos em fibra dá maior sensação de saciedade, levando a comer menos ao longo do dia.

O melhor é, pois, reunir a família à volta da mesa todas as manhãs para tomar um pequeno-almoço, com pão, leite e fruta.”

Fonte: DECO

Imagem e saber mais...

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Dieta Mediterrânica Combate a Diabetes


"Segundo um estudo espanhol, o risco de diabetes diminui com a dieta mediterrânica.
Os investigadores seguiram mais de 13 mil universitários sem diabetes durante 4 anos e avaliaram os seus hábitos dietéticos através de um questionário. Os casos novos da doença foram confirmados através de relatórios médicos. Os participantes que mais aderiram à dieta mediterrânica tinham menos probabilidades de sofrer de diabetes, apesar de apresentarem mais factores de risco, como serem mais velhos e terem familiares com o problema.
A dieta mediterrânica inclui, por exemplo, alimentos ricos em fibras, como cereais, fruta e legumes" e a substituição de gorduras animais por vegetais, como o azeite que ajuda a proteger o organismo.

Como podemos constatar, não devemos renegar as nossas tradições alimentares, pois confirma-se que estas são as mais benéficas para o nosso organismo!
Fonte: Deco
Imagem

domingo, 12 de outubro de 2008

O Outono e a sua beleza...



Poesia e Projecto...

Pouco depois de iniciar a Área de Projecto com a turma do 12º B, sou confrontada com dois poemas de que tive conhecimento numa experiência anterior. Repesquei-os e compartilho convosco a força inspiradora destas palavras, para um trabalho de construção dos projectos, ao longo deste ano lectivo.
Fátima Tadeu



AUTOBIOGRAFIA EM CINCO CAPÍTULOS CURTOS
I
Desço a rua.
Há um grande buraco no passeio.
Caio.
Estou perdida...estou desamparada
a culpa não é minha.
Levo uma eternidade a sair de lá.

II
Desço a mesma rua.
Há um grande buraco no passeio.
Finjo que não o vejo
Caio outra vez lá dentro.
Não posso acreditar que estou no mesmo sítio.
Mas a culpa não é minha.
Ainda levo muito tempo a sair.

III
Desço a mesma rua.
Há um grande buraco no passeio.
Vejo-o
Mas ainda caio lá dentro ... é um hábito
Tenho os olhos abertos
Sei onde estou.
A culpa é minha.
Saio imediatamente.

IV
Desço a mesma rua.
Há um grande buraco no passeio.
Passo ao lado.

V
Desço outra rua.

PORTIA NELSON

Poema extraído do Livro "GERIR O TRABALHO DE PROJECTO~Um manual para professores e formadores", de Lisete Barbosa de Castro e Maria Manuel Calvet Ricardo, da Texto Editora, Colecção Educação Hoje.



A EXCEPÇÃO Á REGRA


Assim se termina história de uma obra
Vistes e ouvistes
Vistes um acontecimento vulgar
Um acontecimento como os que se dão todos os dias
E, no entanto, pedimo-vos,
Sob o familiar, descobri o insólito,
Sob o quotidiano, vêde 0 inexplicável.
Possa tudo o que é habitual inquietar-vos.
Na regra descobri o abuso
E onde quer que descubrais o abuso
Achai-lhe o remédio.

Bertolt BRECHT

sábado, 11 de outubro de 2008

Linces em Silves?! “Nã” pode ser…

Ai pode pode!! Finalmente e para breve!

No final do ano ficará concluído o 1º Centro Nacional de Reprodução em Cativeiro do Lince Ibérico (Lynx pardinus). Sediado em Silves, este centro receberá em 2009 casais vindos da nossa vizinha Espanha, do Parque de Doñana, com o objectivo de futuras crias repovoarem antigos territórios do lince em Portugal, como a Serra da Malcata. Crucial será dizer o quão importante é repor, primeiro, o seu habitat largamente desaparecido, onde a sua presa de eleição, o coelho bravo, escasseia vitima de caça e doenças, imperando portanto assegurar a existência de presas nos campos.

Desde 1986 que o lince ibérico é classificado como “ameaçado” nas listas da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). Em 2002, o seu estatuto de conservação agravou-se para “criticamente ameaçado”, quando deixou de ser avistado no nosso país. Este predador, inofensivo para o Homem, que outrora percorria tanto as montanhas algarvias como as serras de S. Mamede e da Malcata, tornou-se um mito por cá. Contudo, no outro lado da fronteira, no mesmo ano de 2002, colocaram-se “mãos à obra” com o intuito de parar esta catástrofe ibérica, iniciando assim o Programa de Conservação Ex-Situ do Lince Ibérico. Até à presente data este programa já “deu à luz” 24 crias, sendo considerado um sucesso pelos espanhóis.

Embora as possibilidades de ver esta espécie, que prefere viver bem longe do Homem, sejam remotas, faço votos para que em poucos anos consigamos furtar definitivamente a este tímido “gato”, tão amargo destaque que é esse o da Lista Vermelha das Espécies Ameaçadas.

Imagem daqui


sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Dia Mundial da Alimentação - 16 de Outubro

Mantendo a tradição dos anos anteriores os professores do agrupamento de Biologia e Geologia promovem a realização de um conjunto de eventos para comemorar o Dia Mundial da Alimentação.
Longe de ser apenas uma necessidade fisiológica a alimentação é, desde há muito, também um acto de cultura. E quem diz cultura, diz Mediterrâneo, o "mare nostrum", o mar-matriz da nossa cultura feita de luz e festa, de vida na ágora, de abertura aos outros, onde sempre se misturaram sabores e saberes tão presentes na sua gastronomia.
É com este espírito que queremos assinalar este dia com uma ementa, que não sendo propriamente mediterrânica, o bacalhau lembra o norte, não deixa de sugerir o sul, o Mediterrâneo, pois lá estão o mel e o azeite, a cor do ouro, a hortelã e o odor intenso de uma erva que nos dá a sensação de refrescância.
Não faltarão os cestos de fruta colocados em pontos estratégicos da escola a lembrar a existência de uma fonte de preciosos antioxidantes,"lídimos guerreiros" no combate aos maléficos radicais livres, causadores indirectos do nosso envelhecimento precoce, cuja produção tem sido potencializada por uma panóplia de factores associados à vida moderna.
E porque queremos saber, também, o porquê das coisas, as palestras "Alimentação Saudável" (Sara Andrade) e "Alimentação e Imagem Corporal" (Magda Silva) saciarão a nossa curiosidade.
Agrupamento de Biologia e Geologia

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Na senda do combate ao vírus HIV

Este ano o Prémio Nobel da Medicina foi atribuído aos médicos franceses Luc Montagnier e Françoise Barré-Sinoussi que, em 1983, isolaram e identificaram o vírus da imunodeficiência humana, vulgarmente conhecido como HIV. O prémio é compartilhado pelo médico alemão Harald zur Hausen que, pela primeira vez, estabeleceu uma relação directa entre o cancro do colo do útero e o vírus do papiloma humano (HPV). De notar que em 2006 conseguiu-se obter uma vacina preventiva no sentido de imunizar as jovens contra o HPV.
No que toca ao vírus da imunodeficiência humana é conhecida a sua estrutura, o modo como a infecção se desenvolve, bem como os esforços, até agora inglórios, do sistema imunitário para se defender. Por ora, todas as tentativas desenvolvidas para a criação de uma vacina têm-se revelado infrutíferas, na medida em que não funcionaram as vacinas baseadas em vírus vivos e atenuados, as constituídas por vírus inactivos e as feitas a partir de proteínas. Nenhum dos processos habituais de imunização tem conseguido levar a melhor ao vírus. Isto, porque o HIV incorpora o seu próprio material genético no do homem e, não se tem conseguido retirá-lo sem danificar o DNA humano. Uma dificuldade acrescida deriva do facto de que, quando ocorre a replicação do vírus, cada cópia formada é um pouco diferente do vírus original, isto é, o vírus sofre mutações constantes, sendo que no combate a travar é necessário eliminar cada uma das variantes e, assim, evitar o aparecimento de novas cópias. Segundo Luc Montagnier, o processo que permite ao vírus estar constantemente a mudar resulta de um dos seus genes comandar a produção de uma proteína responsável por uma situação de "stress oxidativo" (produção de radicais livres tóxicos para a célula) que induz o aparecimento de mutações no próprio vírus. Mesmo que a célula infectada morra há tempo suficiente para a replicação e alteração do vírus. Para evitar que este mude é preciso agir sobre os factores responsáveis pela sua variação, a saber, a recombinação genética, a dispersão genética (o vírus reparte a sua informação genética por estruturas que contêm fragmentos dessa informação e a que Luc Montagnier chamou nanoformas) e o "stress oxidativo". Para este médico o caminho a seguir é o da estabilização do vírus para melhor o destruir e, o objectivo da vacina a criar será o de impedir a variação do mesmo. Dá vontade de dizer que inimigo conhecido é inimigo vencido. Todavia com este que a todo o momento muda de "rosto" depara-se aos investigadores um combate sem prazo, uma refrega digna de Hércules.
Face às proporções que a SIDA tem tomado a nível mundial, a única opção a tomar é reforçar a luta a este flagelo envidando esforços no sentido de se conseguir criar uma vacina eficaz e, ao mesmo tempo, desenvolver novos tratamentos para a doença. O combate para o desenvolvimento de vacinas contra o HIV é obra para variadíssimas entidades públicas e privadas e equipas multidisciplinares, que não se compadece com os menos de 1% de um montante de 70 biliões de dólares gastos anualmente em investigação na área da saúde, encaminhados para esse fim.
No estado em que se encontra a luta contra o HIV, a atitude mais sensata é fugir dele como o diabo da cruz, o mesmo é dizer que a prevenção é o melhor remédio. Cuidem-se!
Fernando Ribeiro

Energia das Ondas

"Parque de ondas pioneiro na Póvoa do Varzim"

"O primeiro parque mundial de aproveitamento da energia das ondas foi inaugurado terça-feira ao largo da Póvoa de Varzim, num investimento global superior a 8,5 milhões de euros.
O projecto pioneiro, da responsabilidade da Enersis e da escocesa Ocean Power Energy (OPD), que é o parceiro tecnológico, terá capacidade para produzir, numa primeira fase, energia eléctrica suficiente para alimentar uma povoação com cerca de seis mil habitantes.
Nesta primeira fase, foram instaladas três máquinas de aproveitamento energético, com capacidade para produzirem 750 kilowatts (kw) cada uma, o que permitirá uma produção média anual de sete gigawatts por hora (Gwh). Uma segunda fase do projecto prevê que a capacidade de geração de energia possa ascender a uma produção média anual de 21 gigawatts por hora, o que permitiria fornecer electricidade suficiente a cerca de quinze mil habitantes.
A energia produzida pelas ondas do alto mar, consideradas mais estáveis do que as ondas de rebentação, é depois encaminhada através de um cabo submarino para uma subestação de ligação à rede eléctrica. Naturalmente, todo o processo depende, e está sujeito a, factores meteorológicos. O desafio, e a razão porque até aqui os projectos de energia das ondas têm sido encarados com cautela, passa por perceber se as máquinas instaladas têm capacidade para suportar a violência das ondas.
O investimento neste projecto é financiado em 15 por cento por apoios públicos, sendo o restante integralmente assumido pelos dois parceiros envolvidos, a Enersis e a OPD."

Veja aqui um vídeo
Fonte: Surf Portugal

Como podemos constatar o espírito inventivo do Homem vai muito além da utilização dos combustíveis fósseis para obter energia...
Espero que esta e outras alternativas retirem, rapidamente, o petróleo das nossas vidas!

sábado, 4 de outubro de 2008

Basta um pequeno gesto...

Hoje à tarde, enquanto tomava café numa esplanada, na companhia de amiga de longa data, recordavamos, com alguma nostalgia, os tempos de faculdade em que acreditavamos sermos capazes de mudar o Mundo!!! Quem já não pensou o mesmo? Enquanto nos lamentavamos, surgiu-me uma ideia brilhante (não é original, mas pareceu-me interessante): "Podemos não conseguir mudar o Mundo, mas ainda vamos a tempo de salvar o nosso Planeta!"
Mudar o Mundo implica mudar atitudes, comportamentos, mentalidades, rever os valores fundamentais, e muito mais... Mas salvar o Planeta Terra está ao alcance de todos nós, basta um pequeno gesto individual, que multiplicado pela população mundial, trará um benefício global! (Até rimou!). E para que esta tarefa se torne mais fácil aqui vai uma sugestão, "O livro verde - O guia do dia-a-dia para salvar o Planeta", de Thomas M. Kostigen e Elizabeth Rogers.
Espero que gostem e que apliquem algumas das dicas no vosso dia-a-dia, afinal salvar o Planeta não é tão utópico como mudar o Mundo...

Doenças de Inverno

Hoje, já no final desta luminosa tarde de sábado do início de Outubro, ao passar uma vista de olhos pelo site www.sapo.pt, deparei-me na rubrica Saúde com um excelente dossier sobre doenças de Inverno. Como este, de mansinho, se vai aproximando e, já que prevenir é o melhor remédio, façam favor de o abrir...
Fernando Ribeiro

domingo, 28 de setembro de 2008

A propósito do Dia Nacional da Contracepção

"Quem anda à chuva molha-se", "Quem muito anda muito apanha", "Tantas vezes o cântaro vai à fonte que um dia quebra-se", são ditos populares que vêm a propósito do Dia Nacional da Contracepção, comemorado na sexta-feira, dia 26 de Setembro.
Claro que o "molhar-se" direccionando-se, em primeira mão, para o problema da gravidez não planeada, aponta, igualmente, e com não menos premência, para o problema da protecção contra as doenças sexualmente transmissíveis, as famosas DSTs.
Para os jovens, a quem esta pequena nota se dirige em primeira mão, a eficácia da contracepção associa-se, qual reflexo condicionado, à pílula e/ou preservativo, e quanto a este, à sua versão masculina, que a feminina, por razões várias, ainda não conseguiu entrar nas rotinas de alcova.
Tem-se tornado comum a utilização de lubrificantes associada ao uso do preservativo, com vista a uma maior suavidade das fricções entre a mucosa e o preservativo. No entanto, não é qualquer lubrificante que pode ser utilizado, pois, como tudo na vida, nem sempre o que à primeira vista nos parece facilitador e positivo o é verdadeiramente.
Testes laboratoriais realizados com o objectivo de testar a compatibilidade entre preservativos e lubrificantes parecem indicar que, se a generalidade dos geles lubrificantes à base de água não diminuem a resistência do látex dos preservativos, o mesmo não acontece, contudo, com produtos como a vaselina, leite hidratante e outros óleos ou cremes, utilizados frequentemente como lubrificantes, neste caso, lubrificantes oleosos. Esta prática deve ser posta de parte, pois há forte indícios de que os lubrificantes que contêm gorduras na sua composição parecem reduzir grandemente a resistência do látex e, por consequência, potenciar o risco de ruptura do preservativo.
O uso dos lubrificantes não se cinge apenas ao contexto descrito, sendo aconselhado, mesmo nas relações sexuais sem protecção, caso se verifique a redução ou ausência de secreções vaginais. Esta situação que pode perturbar gravemente o relacionamento do casal, é mais frequente do que comumente se pensa, pois longe de estar associada exclusivamente à menopausa, a insuficiência de lubrificação natural decorre de situações de stress, de toma de antidepressivos, de consumo de drogas como a cannabis e de relações violentas ou de ausência de preliminares.
Fernando Ribeiro

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Outono, época de Migração

Chegou o Outono! Com ele trouxe as primeiras chuvas, o levante, as folhas caídas, a cor castanha, a nostalgia criada pelos dias cada vez mais curtos...

Esta estação, que muitos detestam e outros adoram, é especial para as aves, pois é nesta altura que se preparam para enfrentar o Inverno. Uma das estratégias mais utilizadas é a migração que permite a deslocação sazonal entre habitats bem definidos geograficamente. Assim, as aves migradoras movimentam-se para regiões mais amenas e com maior abundância alimentar para passar o Inverno, retornando na Primavera.

A região de Sagres é uma das privilegiadas do Algarve permitindo, por estar na rota de migração, a observação de aves como a Águia-cobreira Circaetus gallicus, a Águia-calçada Hieraaetus pennatus, o Milhafre-preto Milvus migrans, o Búteo-vespeiro Pernis apivorus, o Britango Neophron percnopterus, o Gavião Accipiter nisus, entre outras.

Se gosta de aves e de passear no campo aproveite um fim de semana, equipe-se com um bom guia de identificação de aves e uns binóculos - rume em direcção a Sagres e aproveite o seu Outono.

Para saber mais consulte o site da SPEA

Sismologia

Vivemos na Terra com a mais precária das licenças que pode ser revogada a qualquer momento, sem pré-aviso.
Atentos...
Pois o medo é o nosso mais antigo equipamento de defesa, nascemos com ele incorporado. Podemos ignorá-lo e transformar-nos em alvo ou podemos tirar partido dele para sobreviver.

Será que 253 anos depois vamos reagir pior que no tempo do Marquês de Pombal?

ver mais em sismologia 1
ver mais em sismologia 2

Foto: Terramoto de 1 de Novembro de 1755, Lisboa - A 1ª catástrofe natural do mundo moderno.
Imagem daqui

domingo, 21 de setembro de 2008

Ciência a acontecer

O jornalista João Paulo Mendes, do Diário de Notícias, num artigo intitulado "Fabricar órgãos a partir das células das pessoas" chamou a atenção para a investigação de ponta desenvolvida pelo Instituto Europeu de Excelência de Medicina Regenerativa de Tecidos, sediado no AvePark, nas Caldas das Taipas, Guimarães, na área de reconstrução de tecidos, designadamente pele, cartilagens e ossos.
Conforme lhe explicou Rui Reis, o director do instituto, pretende-se "fazer pedaços de tecidos, de órgãos ou eventualmente um dia de órgãos completos a partir de células das próprias pessoas e de materiais, aumentando a longevidade e a qualidade de vida" e acrescenta que "já conseguimos fazer algumas destas coisas em laboratório com animais", tendo já havido regeneração de osso, cartilagem e pele em ratos e em ratos geneticamente modificados em que que foram utilizadas células humanas.
Começam a abrir-se, deste modo, novas esperanças para doentes com patologias graves em que a regeneração dos tecidos afectados permitirá contornar os problemas de rejeição associados ao processo de substituição.
Para Rui Reis, as condições do novo edifício do instituto vão permitir a concretização de uma linha investigativa que vai desde o desenvolvimento de novos materiais biomédicos à criação de condições para "isolamento, expansão e diferenciação de células estaminais de diferentes origens".
Este e outros exemplos de sucesso, fazem-nos pensar que neste país, que se diz de poetas e sonhadores, também se pensa ciência, se faz ciência, acontece ciência, não fosse esta, também, um sonho e "sempre que o Homem sonha o mundo pula e avança...".
Fernando Ribeiro

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Porquê este blogue?

No ano lectivo de 2007/2008 os professores do Departamento de Ciências Exactas e da Natureza da Escola Secundária Júlio Dantas, em reunião do mesmo, acharam por bem criar um projecto que procurasse integrar e consolidar as várias actividades que os professores dos grupos disciplinares 510 (Física e Química) e 520 (Biologia e Geologia) e os seus alunos têm desenvovido nesta escola, enquadradas no seu Projecto Educativo.
Conforme o título sugere, a promoção do interesse da comunidade educativa pelo conhecimento científico e tecnológico e o desenvolvimento de uma cultura de respeito pelo meio ambiente e pelos recursos/património natural são dois dos objectivos principais deste projecto.
Este ano, e no seguimento de uma proposta do coordenador de departamento, foi aprovada a criação deste blogue, para a qual se prontificou a professora Fátima Santos, no sentido de dar mais visibilidade ao projecto, que é o mesmo que dizer abrir mais um espaço onde se discuta ciência, se sinta que o conhecimento constitui algo em permanente construção, um edifício a que falta sempre um, dois, muitos tijolos e que, no final de cada etapa há sempre uma outra etapa que se nos depara na senda da velha e eterna procura da pedra filosofal. É esta sede, esta busca incessante do saber que move e alimenta a"massa pulsátil e pensante" que constitui o ser humano.
Este blogue será, portanto, um espaço de partilha, de procura, de comunicação, de movimento... será o que nós quisermos.
O Coordenador de Departamento
Fernando Ribeiro

sábado, 13 de setembro de 2008

O 1º Dia!

Olá a todos!

O novo ano escolar já bate à porta. Para mim, que ando nestas "andanças" há somente dez anitos (a iniciar o quinto nesta escola), confesso que continuo a sentir aquele friozinho na barriga quando entro na sala de aula no 1º Dia!
O 1º Dia!
Encontro-me mais uma vez numa sala onde os "moços" me olham como se eu fosse o próprio saber, o instrumento que eles procuram para aprender. Tento aproximar-me, primeiro apreensiva e depois sorrindo e dialogando com eles de forma a criar um clima de confiança e amizade dentro da sala de aula.
A necessidade de conhecer aqueles jovens para melhor com eles comunicar repete-se todos os anos. Compreendo cada vez mais que cada aluno tem um universo próprio, que cada caso é um caso e que na escola eu não só irei ensinar as minhas disciplinas, mas irei, sobretudo, aprender com eles a comunicar e a melhorar a maneira de lhes facilitar a aprendizagem.
Depois… sucedem-se dias de aprendizagem bilateral. Vou aprendendo nos livros e no dia-a-dia com os alunos e colegas, que na escola deve haver um processo vivo de descoberta, em que alunos e professor estejam implicados numa formação recíproca e contínua com vista a engrandecer os seus conhecimentos, mas, sobretudo, com vista à sua autonomia enquanto pessoas.
Por isso procuro que estes "moços" não só melhorem o seu nível de conhecimento da disciplina, mas, principalmente, que aprendam a ser pessoas e a saber viver como pessoas, procurando reconhecer em cada um a sua liberdade individual de pensamento e expressão, a sua criatividade e espontaneidade, sempre dentro do respeito mútuo, enfim, o direito que cada um tem à diferença.
Porque aprender deve ser um acto voluntário e apetecido, ou não fosse o contrário frequentemente sinónimo de indisciplina, empenho-me mais uma vez em ir ao encontro dos interesses dos "meus mocinhos", de modo a incutir e animar o prazer de aprender.
VeraMR

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Pede-se a uma criança...

Pede-se a uma criança: Desenha uma flor! Dá-se-lhe papel e lápis. A criança vai sentar-se no outro canto da sala onde não há mais ninguém. Passado algum tempo o papel está cheio de linhas. Umas numa direcção, outras noutras; umas mais carregadas, outras mais leves; umas mais fáceis, outras mais custosas. A criança quis tanta força em certas linhas que o papel quase não resistiu. Outras eram tão delicadas que apenas o peso do lápis já era demais. Depois a criança vem mostrar essas linhas às pessoas: Uma flor! As pessoas não acham parecidas estas linhas com as de uma flor! Contudo a palavra flor andou por dentro da criança, da cabeça para o coração e do coração para a cabeça, à procura das linhas com que se faz uma flor, e a criança pôs no papel algumas dessas linhas, ou todas. Talvez as tivesse posto fora dos seus lugares, mas, são aquelas as linhas com que Deus faz uma flor!

Almada Negreiros in "O Regresso ou o Homem Sentado - III parte"