sábado, 31 de outubro de 2009

A Terra e o sistema solar

Com o objectivo de fornecer aos alunos das turmas do 10ºano do curso de ciências e tecnologias, mais alguns instrumentos didácticos, que os ajudem a consolidar e aprofundar aprendizagens, disponibizam-se alguns vídeos recolhidos do YouTube.


quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Ossos Fortes e Dentes Saudáveis

O leite, quando consumido com regularidade, apresenta inúmeros benefícios para a saúde, sendo importante não apenas na fase de crescimento, mas também nas restantes etapas da vida.

É um alimento versátil que apresenta nutrientes necessários a uma alimentação saudável:

- Proteínas de elevado valor nutricional, ricas em aminoácidos essenciais;

- Lactose, que fornece energia e desempenha um papel importante na manutenção do equilíbrio da flora intestinal, mas que não é tolerada por algumas pessoas;

- Gorduras ricas em ácidos gordos saturados e mono-insaturados (3,5% no leite gordo, entre 1,5 e 1,8% no meio gordo e praticamente inexistente no leite magro);

- Vitaminas B1, B2, B12, A e D, cálcio, sódio, potássio, fósforo e zinco. Vitaminas A e D, lipossolúveis, presentes no leite gordo e meio gordo.

Apesar da sua riqueza nestes nutrientes essenciais, é a quantidade e a qualidade do cálcio que marcam a diferença. Este mineral, cujas necessidades variam ao longo da vida, sendo mais elevadas durante o crescimento, gravidez e velhice, permite, quando em conjunto com a vitamina D e a correcta dose de exercício físico, aumentar a matriz óssea e assim reduzir o risco de osteoporose. Por outro lado, intervém na correcta formação dos dentes, contracção muscular, coagulação do sangue, entre outras e numerosas reacções que ocorrem no nosso organismo.

É pois conveniente beber 2 a 3 doses de leite por dia mantendo sempre as proporções da roda dos alimentos.

Imagem daqui...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Prémio Nobel da Medicina 2009

Estudos referentes à protecção dos cromossomas levaram a que em 5 de Outubro, o Comité Nobel, em Estocolmo, tivesse anunciado a atribuição do Prémio Nobel da Medicina 2009 aos cientistas Elizabeth Blackburn, Carol Greider e Jack Szostok que têm desenvolvido a sua actividade investigativa nos EUA.
Segundo a Academia Sueca, o trabalho destes cientistas foi de primordial importância para a compreensão do mecanismo de protecção dos cromossomas pelos telómeros e enzima telomerase, permitindo explicar a formação de cópias dos cromossomas durante a divisão celular e o modo como se protegem contra a sua degradação.
Tal como o revestimento terminal de um atacador protege a integridade deste, os telómeros, constituídos por milhares de repetições da sequência nucleotídica TTGGGG, protegem as extremidades dos cromossomas das células eucarióticas. Esta função protectora só é conseguida se o telómero mantiver o seu tamanho, contribuindo para tal a acção da telomerase que cataliza a adição de repetições da sequência referida à extremidade do cromossoma.
O envelhecimento, caracterizado por uma diminuição da multiplicação das células e consequente não reposição de muitas das que vão morrendo, estará associado ao encurtamento dos cromossomas na região dos telómeros. Com o passar dos anos assistir-se-á a uma progressiva diminuição da produção de telomerase e, daí o rápido encurtamento dos telómeros e o acentuar do fenómeno do envelhecimento, que seria assim o resultado de uma menor acção da enzima, qual relógio biológico marcando o inevitável aparecimento da senescência celular.
O facto de as células cancerígenas, que mantêm a sua capacidade de multiplicação ao longo do tempo, apresentarem uma elevada actividade da enzima telomerase, será indicativo de que à vida se colocou o dilema de terminar por envelhecimento em resultado da diminuição da acção da enzima, ou ser aniquilada pelo cancro, por actividade elevada da enzima, pois o não controlo da multiplicação celular desembocará, inevitavelmente, num esgotamento dos recursos de matéria e energia necessários à proliferação infinita de células.
A natureza é sábia e a vida é um jogo de equilíbrios estabelecidos ao longo do processo evolutivo.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Dia Internacional do Idoso

Ao longo do tempo, Matusálem constituiu-se, no imaginário da cultura judaico-cristã, na venerável figura da quase eternidade, no secreto desejo do humano em permanecer, em perpetuar-se, no desafio à morte, encarada como a derrota suprema, o combate derradeiro que não é possivel vencer.
O desenvolvimento da ciência e da tecnologia foram-nos dando armas, cada vez mais poderosas, para manter a luta permanente entre o homem e a ceifeira, que se tem traduzido, não na vitória sobre esta, o que seria o negar do próprio sentido da vida, mas, apesar de tudo, no adiar do encontro final.
Este adiamento, bem patente nos países desenvolvidos, está a traduzir-se num progressivo envelhecimento da população mundial, com todos os problemas daí decorrentes para a sustentabilidade dos sistemas de segurança social. Não será solução voltar a carregar o velho pai para a montanha, esquecendo que, mais cedo que tarde, a mesma sorte baterá à porta de cada um de nós.
É neste quadro que desde 1990, por decisão da Assembleia Geral Das Nações Unidas, o dia 1 de Outubro foi designado como Dia Internacional do Idoso.
Afastando o estereótipo de folhas prestes a cair é necessário voltar a recuperar o lugar ocupado pelo idoso na cultura oriental, como repositório da memória e do conhecimento vivido. Que o idoso seja uma imagem viva da qualidade de um país, uma medida certa de avaliação do grau de cumprimento dos direitos humanos.