quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Vídeos Conferências DARWIN: No Caminho da Evolução

Darwin: entre a Terra e o Céu - 2ª parte
Vídeo da conferência por Carlos Marques da Silva

Vídeos Conferências DARWIN: No Caminho da Evolução

Darwin: entre a Terra e o Céu - 1ª parte
Vídeo da conferência por Carlos Marques da Silva

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Antes que seja tarde

Inicia-se, hoje, segunda-feira, dia 27 de Outubro, feriado municipal de Lagos, em todo o país o programa de vacinação de adolescentes nascidas em 1995 contra o vírus do papiloma humano (HPV). Este vírus, de que se conhecem mais de 90 variantes, é considerado o principal responsável pelo cancro do colo do útero, que a seguir ao cancro da mama é o mais mortífero na população feminina, matando em Portugal, mais de 300 mulheres por ano, sendo mesmo o nosso país o que apresenta uma incidência mais elevada na Europa Ocidental.

A vacina contra o HPV foi integrada, há um ano, no Plano Nacional de Vacinação. Esta vacina preventiva contra o vírus foi obtida em 2006 e, este ano, o médico alemão Harald Zur Hausen recebeu o Prémio Nobel da Medicina pelo seu contributo no estabelecimento da relação entre o HPV e o cancro do colo do útero. Este vírus faz parte de uma vasta família conhecida por atacarem a pele e as mucosas e nela se incluem os que provocam as "verrugas" cutâneas.
Como é sabido os vírus são seres acelulares, cujo património genético é constituído por DNA ou por RNA, nunca os dois em simultâneo, protegido por uma camada proteica. São parasitas intracelulares obrigatórios, só manifestando características vitais, uma vez no interior das células vivas que invadem. Ultrapassadas as "muralhas da fortaleza" e integradas as suas sequências genéticas no DNA da célula invadida, tomam o comando da sua maquinaria metabólica, colocando-a ao seu serviço, isto é, a célula passa a produzir as proteínas e o ácido nucleico virais que permitem a formação de centenas de milhar de novos vírus, acabando, geralmente, por ser destruída.
O facto de em 99,7% das células tumorais do colo do útero se encontrarem as sequências genéticas do vírus, é prova mais que suficiente da ligação entre o HPV e o cancro do colo do útero. Dentro das variantes de HPV já identificadas, há 17 que por estarem relacionadas com o desenvolvimento de cancro são conhecidas como HPV oncogénicos, de que o HPV16 e HPV18 são os mais frequentemente encontrados nas células tumorais do colo do útero.
Aos HPV oncogénicos que funcionarão como iniciadores do tumor, associam-se cofactores, ou seja, "ajudantes" como o "backgrond genético", o fumo do tabaco, os contraceptivos orais, as doenças venéreas e a carência de alguns nutrientes que potenciarão o desenvolvimento do tumor.
No quadro das doenças sexualmente transmissíveis (DST), a infecção pelo HPV é das mais frequentes nos adolescentes e jovens adultos sexualmente activos. A via sexual apresenta-se, assim, como a principal forma de transmissão do vírus, favorecida pela cada vez maior precocidade da primeira relação sexual e existência de elevado número de parceiros sexuais. Neste contexto o uso do preservativo é factor essencial na defesa da saúde pública e, dado que o desenvolvimento do cancro resulta, em primeiro lugar, da acção viral, podendo, por isso, ser tratado e mesmo prevenido, justifica-se plenamente o arranque deste programa de vacinação, esperando-se que em breve seja estendido a outras faixas etárias.
Fernando Ribeiro

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

“Bora lá” às Galápago? Quem quer vir comigo?

A Fundação Calouste Gulbenkian deu início no passado dia 16 do corrente mês ao concurso ”Darwin regressa às Galápagos” dedicado ao GRANDE cientista Charles Darwin.
A participação no concurso exige a formação de um par aluno-professor, em que o aluno terá de redigir uma "carta de motivação" dirigida a Darwin, pedindo-lhe para participar como seu assistente numa hipotética segunda viagem às ilhas Galápagos, no Equador.

O professor, por seu lado, deverá escrever um ensaio sobre o papel dos professores na actualidade, tendo como termo de comparação a relação do próprio Darwin com o seu "mentor", o professor de Geologia e Botânica John S. Henslow que lhe proporcionou a oportunidade de embarcar na Nau Beagle.

1º prémio: duas viagens de dez dias às Galápagos (escalão do ensino secundário), de 05 a 15 de Abril de 2009.

Os conjuntos de cartas e ensaios concorrentes, que deverão ser enviadas online até 05 de Janeiro de 2009, serão avaliados por quatro investigadores, três da área de biologia e um de literatura, a que se juntará um representante da Fundação Gulbenkian.

O concurso insere-se no âmbito da exposição "A Evolução de Darwin", a inaugurar a 12 de Fevereiro de 2009 na Fundação, e com a qual esta pretende assinalar os 200 anos do nascimento de Charles Darwin e, simultaneamente, a passagem de 150 anos sobre a publicação da obra "A Origem das Espécies".

Saber mais aqui

Saber mais e Imagem aqui

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

No seguimento do Dia Mundial da Alimentação

Claro que todos os dias são ou deveriam ser Dia Mundial da Alimentação! Hoje, dia 17 de Outubro, um dia depois da comemoração oficial, não poderíamos deixar de proceder a um pequeno balanço do que foram as actividades desenvolvidas no âmbito do Dia Mundial da Alimentação na nossa escola.

A palestra "Alimentação Saudável" dinamizada pela nutricionista Sara Andrade do Centro de Saúde de Lagos, teve como público-alvo alunos de turmas do 10º Ano.
Pareceu-nos que a actividade atingiu plenamente os objectivos pretendidos: sensibilizar a comunidade escolar para as boas práticas alimentares; reforçar a ideia da importância de consumir alimentos de todos os grupos da Roda dos Alimentos nas proporções recomendadas; dar especial ênfase ao consumo de produtos hortícolas e de frutas, importantes fornecedores de vitaminas, minerais e fibras, tantas vezes arredados das nossas mesas; alertar para os perigos do consumo regular de refeições fast-food; sensibilizar os novos alunos para a qualidade das refeições fornecidas pela cantina escolar, não deixando de realçar a relação preço/qualidade das mesmas.
Na parte final da sessão, que durou cerca de hora e meia, os alunos e professores presentes colocaram questões pertinentes indicadoras de que a mensagem passou.
A palestra "Alimentação e Imagem Corporal" dinamizada pela psicóloga Magda Silva, funcionária da nossa escola, teve como público-alvo os alunos das turmas do Curso Tecnológico de Desporto e os alunos de turmas do 12º Ano que no ano transacto não tiveram oportunidade de assistir às actividades realizadas no Dia Mundial da Alimentação.
Na palestra foi dada particular atenção aos distúrbios alimentares que afectam um número cada vez maior de adolescentes e jovens, essencialmente, nos países desenvolvidos. É paradoxal que este problema afecte países onde a dificuldade de aquisição de alimentos por parte das populações quase não se coloca. Será mesmo de dizer que os distúrbios são fruto da abundância e um reflexo de valores distorcidos, onde a excessiva preocupação com a imagem corporal e a ideia peregrina da eterna juventude, se impuseram como ícones de marca, como padrões que só o são numa realidade virtual e que pouco se ajustam à realidade quotidiana.
As intervenções dos jovens e demais assistentes reforçou-nos a ideia de quão importante é continuarmos a alertar para estes problemas, a consciencializar-mo-nos de que constituem situações do dia-a-dia da maioria das famílias, de muito difícil resolução e, consequentemente, fonte de muito sofrimento para todos os envolvidos.
Estamos em crer que, mais uma vez, a mensagem passou e que nunca é de mais alertar e sensibilizar os jovens para a sua responsabilidade em "construir"um corpo são para ter uma mente sã.
Tanto o almoço como as frutas e frutos secos disponibilizados mereceram o agrado da generalidade da comunidade escolar e enquadraram-se no objectivo de promoção de uma alimentação equilibrada, condição essencial a uma vida saudável.
Resta-nos manifestar o nosso agradecimento pela preciosa disponibilidade de todos os intervenientes da comunidade escolar e da comunidade envolvente que permitiram a comemoração deste dia na nossa escola.
O agrupamento de Biologia e Geologia

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Pequeno-almoço ajuda a controlar o peso

“Os adolescentes que tomam regularmente o pequeno-almoço correm menos ricos de sofrer de excesso de peso, segundo um estudo norte-americano.

Os investigadores avaliaram os padrões alimentares de 1007 rapazes e 1215 raparigas com cerca de 15 anos, tendo em conta o estatuto socio-económico, raça, actividade física e índice de massa corporal (IMC), entre outros.

Conclui-se que quem comia o pequeno-almoço regularmente possuía um IMC (relação entre o peso e a altura) mais baixo do que os restantes. Esta tendência manteve-se ao longo dos cinco anos de estudo. Cerca de metade dos adolescentes, sobretudo as raparigas, não tomavam esta refeição todos os dias. Os autores admitem que a ingestão de alimentos ricos em fibra dá maior sensação de saciedade, levando a comer menos ao longo do dia.

O melhor é, pois, reunir a família à volta da mesa todas as manhãs para tomar um pequeno-almoço, com pão, leite e fruta.”

Fonte: DECO

Imagem e saber mais...

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Dieta Mediterrânica Combate a Diabetes


"Segundo um estudo espanhol, o risco de diabetes diminui com a dieta mediterrânica.
Os investigadores seguiram mais de 13 mil universitários sem diabetes durante 4 anos e avaliaram os seus hábitos dietéticos através de um questionário. Os casos novos da doença foram confirmados através de relatórios médicos. Os participantes que mais aderiram à dieta mediterrânica tinham menos probabilidades de sofrer de diabetes, apesar de apresentarem mais factores de risco, como serem mais velhos e terem familiares com o problema.
A dieta mediterrânica inclui, por exemplo, alimentos ricos em fibras, como cereais, fruta e legumes" e a substituição de gorduras animais por vegetais, como o azeite que ajuda a proteger o organismo.

Como podemos constatar, não devemos renegar as nossas tradições alimentares, pois confirma-se que estas são as mais benéficas para o nosso organismo!
Fonte: Deco
Imagem

domingo, 12 de outubro de 2008

O Outono e a sua beleza...



Poesia e Projecto...

Pouco depois de iniciar a Área de Projecto com a turma do 12º B, sou confrontada com dois poemas de que tive conhecimento numa experiência anterior. Repesquei-os e compartilho convosco a força inspiradora destas palavras, para um trabalho de construção dos projectos, ao longo deste ano lectivo.
Fátima Tadeu



AUTOBIOGRAFIA EM CINCO CAPÍTULOS CURTOS
I
Desço a rua.
Há um grande buraco no passeio.
Caio.
Estou perdida...estou desamparada
a culpa não é minha.
Levo uma eternidade a sair de lá.

II
Desço a mesma rua.
Há um grande buraco no passeio.
Finjo que não o vejo
Caio outra vez lá dentro.
Não posso acreditar que estou no mesmo sítio.
Mas a culpa não é minha.
Ainda levo muito tempo a sair.

III
Desço a mesma rua.
Há um grande buraco no passeio.
Vejo-o
Mas ainda caio lá dentro ... é um hábito
Tenho os olhos abertos
Sei onde estou.
A culpa é minha.
Saio imediatamente.

IV
Desço a mesma rua.
Há um grande buraco no passeio.
Passo ao lado.

V
Desço outra rua.

PORTIA NELSON

Poema extraído do Livro "GERIR O TRABALHO DE PROJECTO~Um manual para professores e formadores", de Lisete Barbosa de Castro e Maria Manuel Calvet Ricardo, da Texto Editora, Colecção Educação Hoje.



A EXCEPÇÃO Á REGRA


Assim se termina história de uma obra
Vistes e ouvistes
Vistes um acontecimento vulgar
Um acontecimento como os que se dão todos os dias
E, no entanto, pedimo-vos,
Sob o familiar, descobri o insólito,
Sob o quotidiano, vêde 0 inexplicável.
Possa tudo o que é habitual inquietar-vos.
Na regra descobri o abuso
E onde quer que descubrais o abuso
Achai-lhe o remédio.

Bertolt BRECHT

sábado, 11 de outubro de 2008

Linces em Silves?! “Nã” pode ser…

Ai pode pode!! Finalmente e para breve!

No final do ano ficará concluído o 1º Centro Nacional de Reprodução em Cativeiro do Lince Ibérico (Lynx pardinus). Sediado em Silves, este centro receberá em 2009 casais vindos da nossa vizinha Espanha, do Parque de Doñana, com o objectivo de futuras crias repovoarem antigos territórios do lince em Portugal, como a Serra da Malcata. Crucial será dizer o quão importante é repor, primeiro, o seu habitat largamente desaparecido, onde a sua presa de eleição, o coelho bravo, escasseia vitima de caça e doenças, imperando portanto assegurar a existência de presas nos campos.

Desde 1986 que o lince ibérico é classificado como “ameaçado” nas listas da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). Em 2002, o seu estatuto de conservação agravou-se para “criticamente ameaçado”, quando deixou de ser avistado no nosso país. Este predador, inofensivo para o Homem, que outrora percorria tanto as montanhas algarvias como as serras de S. Mamede e da Malcata, tornou-se um mito por cá. Contudo, no outro lado da fronteira, no mesmo ano de 2002, colocaram-se “mãos à obra” com o intuito de parar esta catástrofe ibérica, iniciando assim o Programa de Conservação Ex-Situ do Lince Ibérico. Até à presente data este programa já “deu à luz” 24 crias, sendo considerado um sucesso pelos espanhóis.

Embora as possibilidades de ver esta espécie, que prefere viver bem longe do Homem, sejam remotas, faço votos para que em poucos anos consigamos furtar definitivamente a este tímido “gato”, tão amargo destaque que é esse o da Lista Vermelha das Espécies Ameaçadas.

Imagem daqui


sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Dia Mundial da Alimentação - 16 de Outubro

Mantendo a tradição dos anos anteriores os professores do agrupamento de Biologia e Geologia promovem a realização de um conjunto de eventos para comemorar o Dia Mundial da Alimentação.
Longe de ser apenas uma necessidade fisiológica a alimentação é, desde há muito, também um acto de cultura. E quem diz cultura, diz Mediterrâneo, o "mare nostrum", o mar-matriz da nossa cultura feita de luz e festa, de vida na ágora, de abertura aos outros, onde sempre se misturaram sabores e saberes tão presentes na sua gastronomia.
É com este espírito que queremos assinalar este dia com uma ementa, que não sendo propriamente mediterrânica, o bacalhau lembra o norte, não deixa de sugerir o sul, o Mediterrâneo, pois lá estão o mel e o azeite, a cor do ouro, a hortelã e o odor intenso de uma erva que nos dá a sensação de refrescância.
Não faltarão os cestos de fruta colocados em pontos estratégicos da escola a lembrar a existência de uma fonte de preciosos antioxidantes,"lídimos guerreiros" no combate aos maléficos radicais livres, causadores indirectos do nosso envelhecimento precoce, cuja produção tem sido potencializada por uma panóplia de factores associados à vida moderna.
E porque queremos saber, também, o porquê das coisas, as palestras "Alimentação Saudável" (Sara Andrade) e "Alimentação e Imagem Corporal" (Magda Silva) saciarão a nossa curiosidade.
Agrupamento de Biologia e Geologia

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Na senda do combate ao vírus HIV

Este ano o Prémio Nobel da Medicina foi atribuído aos médicos franceses Luc Montagnier e Françoise Barré-Sinoussi que, em 1983, isolaram e identificaram o vírus da imunodeficiência humana, vulgarmente conhecido como HIV. O prémio é compartilhado pelo médico alemão Harald zur Hausen que, pela primeira vez, estabeleceu uma relação directa entre o cancro do colo do útero e o vírus do papiloma humano (HPV). De notar que em 2006 conseguiu-se obter uma vacina preventiva no sentido de imunizar as jovens contra o HPV.
No que toca ao vírus da imunodeficiência humana é conhecida a sua estrutura, o modo como a infecção se desenvolve, bem como os esforços, até agora inglórios, do sistema imunitário para se defender. Por ora, todas as tentativas desenvolvidas para a criação de uma vacina têm-se revelado infrutíferas, na medida em que não funcionaram as vacinas baseadas em vírus vivos e atenuados, as constituídas por vírus inactivos e as feitas a partir de proteínas. Nenhum dos processos habituais de imunização tem conseguido levar a melhor ao vírus. Isto, porque o HIV incorpora o seu próprio material genético no do homem e, não se tem conseguido retirá-lo sem danificar o DNA humano. Uma dificuldade acrescida deriva do facto de que, quando ocorre a replicação do vírus, cada cópia formada é um pouco diferente do vírus original, isto é, o vírus sofre mutações constantes, sendo que no combate a travar é necessário eliminar cada uma das variantes e, assim, evitar o aparecimento de novas cópias. Segundo Luc Montagnier, o processo que permite ao vírus estar constantemente a mudar resulta de um dos seus genes comandar a produção de uma proteína responsável por uma situação de "stress oxidativo" (produção de radicais livres tóxicos para a célula) que induz o aparecimento de mutações no próprio vírus. Mesmo que a célula infectada morra há tempo suficiente para a replicação e alteração do vírus. Para evitar que este mude é preciso agir sobre os factores responsáveis pela sua variação, a saber, a recombinação genética, a dispersão genética (o vírus reparte a sua informação genética por estruturas que contêm fragmentos dessa informação e a que Luc Montagnier chamou nanoformas) e o "stress oxidativo". Para este médico o caminho a seguir é o da estabilização do vírus para melhor o destruir e, o objectivo da vacina a criar será o de impedir a variação do mesmo. Dá vontade de dizer que inimigo conhecido é inimigo vencido. Todavia com este que a todo o momento muda de "rosto" depara-se aos investigadores um combate sem prazo, uma refrega digna de Hércules.
Face às proporções que a SIDA tem tomado a nível mundial, a única opção a tomar é reforçar a luta a este flagelo envidando esforços no sentido de se conseguir criar uma vacina eficaz e, ao mesmo tempo, desenvolver novos tratamentos para a doença. O combate para o desenvolvimento de vacinas contra o HIV é obra para variadíssimas entidades públicas e privadas e equipas multidisciplinares, que não se compadece com os menos de 1% de um montante de 70 biliões de dólares gastos anualmente em investigação na área da saúde, encaminhados para esse fim.
No estado em que se encontra a luta contra o HIV, a atitude mais sensata é fugir dele como o diabo da cruz, o mesmo é dizer que a prevenção é o melhor remédio. Cuidem-se!
Fernando Ribeiro

Energia das Ondas

"Parque de ondas pioneiro na Póvoa do Varzim"

"O primeiro parque mundial de aproveitamento da energia das ondas foi inaugurado terça-feira ao largo da Póvoa de Varzim, num investimento global superior a 8,5 milhões de euros.
O projecto pioneiro, da responsabilidade da Enersis e da escocesa Ocean Power Energy (OPD), que é o parceiro tecnológico, terá capacidade para produzir, numa primeira fase, energia eléctrica suficiente para alimentar uma povoação com cerca de seis mil habitantes.
Nesta primeira fase, foram instaladas três máquinas de aproveitamento energético, com capacidade para produzirem 750 kilowatts (kw) cada uma, o que permitirá uma produção média anual de sete gigawatts por hora (Gwh). Uma segunda fase do projecto prevê que a capacidade de geração de energia possa ascender a uma produção média anual de 21 gigawatts por hora, o que permitiria fornecer electricidade suficiente a cerca de quinze mil habitantes.
A energia produzida pelas ondas do alto mar, consideradas mais estáveis do que as ondas de rebentação, é depois encaminhada através de um cabo submarino para uma subestação de ligação à rede eléctrica. Naturalmente, todo o processo depende, e está sujeito a, factores meteorológicos. O desafio, e a razão porque até aqui os projectos de energia das ondas têm sido encarados com cautela, passa por perceber se as máquinas instaladas têm capacidade para suportar a violência das ondas.
O investimento neste projecto é financiado em 15 por cento por apoios públicos, sendo o restante integralmente assumido pelos dois parceiros envolvidos, a Enersis e a OPD."

Veja aqui um vídeo
Fonte: Surf Portugal

Como podemos constatar o espírito inventivo do Homem vai muito além da utilização dos combustíveis fósseis para obter energia...
Espero que esta e outras alternativas retirem, rapidamente, o petróleo das nossas vidas!

sábado, 4 de outubro de 2008

Basta um pequeno gesto...

Hoje à tarde, enquanto tomava café numa esplanada, na companhia de amiga de longa data, recordavamos, com alguma nostalgia, os tempos de faculdade em que acreditavamos sermos capazes de mudar o Mundo!!! Quem já não pensou o mesmo? Enquanto nos lamentavamos, surgiu-me uma ideia brilhante (não é original, mas pareceu-me interessante): "Podemos não conseguir mudar o Mundo, mas ainda vamos a tempo de salvar o nosso Planeta!"
Mudar o Mundo implica mudar atitudes, comportamentos, mentalidades, rever os valores fundamentais, e muito mais... Mas salvar o Planeta Terra está ao alcance de todos nós, basta um pequeno gesto individual, que multiplicado pela população mundial, trará um benefício global! (Até rimou!). E para que esta tarefa se torne mais fácil aqui vai uma sugestão, "O livro verde - O guia do dia-a-dia para salvar o Planeta", de Thomas M. Kostigen e Elizabeth Rogers.
Espero que gostem e que apliquem algumas das dicas no vosso dia-a-dia, afinal salvar o Planeta não é tão utópico como mudar o Mundo...

Doenças de Inverno

Hoje, já no final desta luminosa tarde de sábado do início de Outubro, ao passar uma vista de olhos pelo site www.sapo.pt, deparei-me na rubrica Saúde com um excelente dossier sobre doenças de Inverno. Como este, de mansinho, se vai aproximando e, já que prevenir é o melhor remédio, façam favor de o abrir...
Fernando Ribeiro