segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Fósseis de Pinguis Gigantes

O "Rei das Águas" do Perú viveu há mais de 36 milhões de anos e os seus fósseis foram descobertos por uma equipa de paleontólogos norte-americanos. Fazia parte de um grupo de espécies de pinguins que aparentemente ocupavam grande parte do hemisfério Sul e cujo formato dos membros e das suas penas evoluiu muito cedo.

Era um pinguim gigante que pesava aproximadamente 60 quilos, e tinha 1,5 metros de altura, praticamente o dobro do peso e mais 30 centímetros que o pinguim imperador.
Foram descobertas também penas fossilizadas, donde se conclui que este tipo de pinguins estava coberto de penas de tons castanho-avermelhados e de cinzentos, bem diferente da “vestimenta” dos pinguins actuais - tons pretos e cinzentos. Estas penas criavam uma camada protectora que permitiu que fossem bons nadadores, e devido ao facto serem mais pesados permitia-lhes atingir grandes profundidades, ao contrário dos actuais. Por isto, foi denominado de Inkayacu paracasensis, ou seja "rei das águas".
No Fóssil das suas penas foram encontrados “pacotes microscópicos denominados de melanossomas”, que continham pigmentos. Através da comparação com os melanossomas de aves actuais, conclui-se que os pinguins modernos têm um formato de melanossoma que não é encontrado em mais nenhuma espécie de aves, enquanto esta espécie de pinguins gigantes tem o formato dos melanossomas parecido com o das restantes aves.

É pena não podermos ver estas maravilhosas criaturas com características únicas, bastante diferentes das actuais!

Fonte

As alunas do 10º A: Andreia Gonçalves, Carolina Neves, Catarina Luz, Cíntia Pacheco.

Sem comentários: