segunda-feira, 20 de abril de 2009

Hipertensão arterial - Silenciosa e Perigosa

A hipertensão arterial, um dos problemas de saúde que mais afecta os portugueses, é o principal factor de risco responsável pela maioria dos acidentes cardiovasculares e enfartes de miocárdio.

A tensão arterial é a pressão exercida pelo sangue nas paredes das artérias, permitindo que este chegue a todo o organismo. Ao contrair, o coração envia o sangue para as artérias gerando uma pressão máxima, a que chamamos sistólica. Quando o coração relaxa obtém-se a pressão mínima, denominada diastólica. A tensão é dada em milímetros de mercúrio (mmHg) e considera-se hipertensão a partir de 140/90 mmHg.

Alguns dos principais factores de risco da hipertensão são:

- Comportamentais – ligados ao consumo de álcool e/ou tabaco, a uma alimentação rica em gorduras e sal e ao sedentarismo;

- Obesidade – o risco de uma pessoa obesa sofrer de hipertensão é 6,5 vezes superior ao de uma pessoa com peso normal;

- Colesterol elevado – deposita-se nas paredes dos vasos provocando a aterosclerose, induzindo o aumento do esforço cardíaco;

- Género – atinge mais os homens que as mulheres;

- Idade – a tensão arterial tem tendência a aumentar à medida que a idade avança;

- Genéticos – pensa-se que a hipertensão possa estar ligada a factores hereditários;

- Doenças específicas – podem gerar hipertensão como efeito colateral.

Quanto maior for o número de factores de risco acumulados, maior será a probabilidade de sofrer de hipertensão arterial e, em consequência, de acidentes cardiovasculares.

Entre as categorias de medicamentos utilizados para combater a hipertensão arterial, encontram-se os diuréticos (contribuem para a eliminação de sais minerais e água através da urina, reduzindo o volume do sangue), betabloqueadores (reduzem a contracção dos vasos), antagonistas de cálcio (relaxam os músculos dos vasos), inibidores da angiotensina (bloqueiam a formação de angiotensina, responsável pela contracção dos vasos), antagonistas dos receptores de angiotensina (inibem a actuação da angiotensina).

Geralmente, a tensão alta é assintomática podendo passar despercebida. No entanto, pode causar dores de cabeça, tonturas, cansaço, palpitações, etc.. É, portanto, imprescindível medir a tensão arterial regularmente e ter uma vida saudável como medida preventiva.

O agrupamento de Biologia e Geologia da ESJD preocupa-se com esta temática, pelo que, durante os “Dias da Saúde”, poderá dirigir-se à sala 45 para que, entre outros indicadores de saúde, lhe seja medida a tensão arterial.

Sem comentários: